sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

ALEM DO OLHAR



 Um olhar, um sorriso, andar insinuante..
O brilho de uma estrela, a face da lua se
abrindo entre nuvens difusas. O vento em
em mágico sopro sobre seus cabelos.

Meu coração se inflama e se incendeia
Como fogueira ardente de paixão.
Que queima sem controle minhas
Verdades absolutas, minhas certezas.

Não creio em amor à primeira vista,
Então o que me atingiu em face da sua presença?
Que razão explica este seqüestro relâmpago?
O que me priva da lógica e do discernimento?

Talvez , quem sabe uma lógica diferente,
Que só o coração vê e sente, e que está além
da presença, das aparências e muito além
de um simples olhar... além do olhar.

João Drummond


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Féretro do Poeta

 Becos e ruas Esquinas e ruelas, Trevos e praças, Façam-se avenidas! Alarguem-se, Que ali vem a tristeza. Ermidas e i...