sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O Ultimo Poema



Caminhei pelas vilas e cidades
Entre virtudes e maldades
Lutei em todas as rinhas
Batalhas nobres e mesquinhas

Vi pelas frestas das janelas
Matronas e donzelas
De expressões inocentes
E olhares indecentes

Gritei a plenos pulmões
Poemas e palavrões
Viajei pelos sete mares
Respirei todos os ares

Tomei remédios e venenos
Pulei muros e abismos
Ganhei uma grana preta
Perdi tudo na roleta.

Plantei flores, frutos e espinhos
Gerei filhos legítimos e bastardos
De joelhos em lamentos mesquinhos
Pedi perdão pelos meus pecados.

Restou-me uma ultima empreita
A hora do meu melhor recado
Deixo aqui neste poema
O meu derradeiro legado

João Drummond

Féretro do Poeta

 Becos e ruas Esquinas e ruelas, Trevos e praças, Façam-se avenidas! Alarguem-se, Que ali vem a tristeza. Ermidas e i...